quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo

recados para blogs e sites



A todos os meus amigos o desejo de um novo ano muito próspero!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

sábado, 26 de dezembro de 2009

Temporal no Oeste

Eucaliptos com cerca de setenta anos arrancados pela raíz
Vista geral do que foi um pinhal
A estrada de chão pela qual me dirigia ao portão

domingo, 20 de dezembro de 2009

O Natal na poesia portuguesa

Matança dos Inocentes, presépio Machado de Castro
e lá está o feio bicho, o tal das tranças de que o poeta nos fala

História Antiga


Era uma vez, lá na Judeia, um rei.
Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava,reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.
E,na verdade,assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da Nação.
Mas,
Por acaso ou milagre,aconteceu
Que num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenino
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no Inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.


Miguel Torga,Antologia Poética

Presépio atribuido a Machado de Castro




Este presépio em terracota policromada é uma obra de referência nacional do século XVIII (cerca de 1782/83). Tem um total aproximado de 500 figuras e encontra-se montado numa estrutura de madeira e cortiça. Tal como nos outros presépios barrocos tem representados seis monumentos:a Natividade como cena central,a Adoração dos Reis Magos; a adoração dos pastores e populares,o Cortejo Régio, a anunciação aos pastores e a Matança dos Inocentes.
O espaço restante é preenchido por figuras do povo em cenas da vida quotidiana. Cinco nuvens estão suspensas com anjos e querubins.


A matança do porco, uma das muitas cenas da vida quotidiana representadas neste presépio de Machado de Castro da Basílica da Estrela.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Presépio da minha infância


Este é o presépio da minha infância! As suas figuras têm algo de naif nas formas e na cor.
Na escola ou em casa, quando havia as queridas figuras, lá íamos nós ao musgo para fazer o presépio!
Com algumas semanas de antecedência "semeávamos" as searinhas do Menino Jesus!
Dias depois as sementes do trigo germinavam e as searinhas enfeitavam muito o presépio e simbolizavam o pão e portanto a garantia de alimento todo o ano.
Não esquecíamos nunca de arranjar umas pedrinhas bonitas para fazer a gruta , simples e despojada onde o menino nasceu para nos salvar! As cores vivas e alegres das figurinhas transportam-nos a simples oleiros....
Outros presépios são obra de artistas! No seculo XVIII, Machado de Castro e António Ferreira fizeram lindos presépios de grande minúcia narrativa,onde toda a história bíblica é contada ao pormenor com delicadas e artísticas figuras muito bem feitas e pintadas!
Aprecio muito este trabalho artístico que podemos encontrar na Sé de Lisboa, Na Igreja da Madre de Deus , na Basilica da Estrela... mas sinto uma ternura e encanto quando olho para as figurinhas de cores vivas e formas imperfeitas que povoaram os meus presépios e se mantêm na minha memória afectiva!


terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Postal de Natal




Brinque um bocadinho clicando no play

sábado, 5 de dezembro de 2009

Bom fim de semana



Bom fim de semana

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Mensagem--- Fernando Pessoa

Fotografia de Jorge Barros

VIRIATO
Se a alma que sente e faz conhece
Só porque lembra o que esqueceu,
Vivemos raça, porque houvesse
Memória em nós do instincto teu.


Nação porque reincarnáste,
Povo porque ressuscitou
Ou tu,ou o de que eras a haste-
Assim Portugal se formou.

Teu ser é como aquella fria
Luz que precede a madrugada,
E é já o ir a haver o dia
Na antemanhã, confuso nada.


22-1-1932

sábado, 28 de novembro de 2009

Bom fim de semana

Venús de Urbino de Ticiano

Quero desejar-vos bom fim de semana prolongado e relembrar que a votação está a decorrer até ao dia 30 de Novembro, no Blogue Aldeia da minha Vida

domingo, 22 de novembro de 2009

O meu primeiro magusto


A primeira vez que eu participei num Magusto foi no início dos anos setenta quando cheguei aqui ao Oeste
No Alentejo, pelo menos na minha zona, não havia essa tradição. Comiam-se frutos secos, vindos do Algarve :as galinhas e os galos de pasta de figo, as amêndoas, as nozes… até há a feira de Castro Verde, cantada pela Mariza, onde se compram os frutos secos, em finais de Outubro.
Aqui chegada logo os meus alunos começaram a falar de magusto, perguntando com alguma ansiedade, se este ano não havia.
Ficaram atónitos com o meu desconhecimento, mas esclareceram-me e o magusto foi aprazado para o dia de S.Martinho, tendo eles tomado a responsabilidade da organização do mesmo.
No dia de S.Martinho a azáfama no pátio da escola era muita e a vozearia da garotada ensurdecedora!
Os meninos fizeram a fogueira com a lenha que eles próprios apanharam e lá dentro deitaram as castanhas depois de devidamente cortadas.
A partir daí foi o delírio total… os miúdos tiravam as castanhas assadas da fogueira, comiam-nas, voltavam a deitar mais castanhas na fogueira e, sobretudo enfarruscavam-se todos uns aos outros, no meio de grandes corridas, gritarias e brincadeiras.
A alegria reinava naquele pátio de recreio….cantavam-se cantigas alusivas ao S. Martinho...
Eu, nos meus verdes anos e perante o desconhecido estava também encantada, desconfio mesmo que também enfarrusquei algumas carinhas…comi muitas castanhas e diverti-me imenso.
Nem me lembro de mais alguma vez comer castanhas assadas como aquelas do meu primeiro magusto!
Eram mesmo “quentes e boas, quentinhas, a estalarem cinzentas na brasa”
Com o decorrer dos anos os magustos nas escolas foram perdendo as suas características, por razões práticas e de segurança. Mantem-se o convívio, comem-se castanhas mas aquela fogueira no chão, as castanhas a assar lá dentro e os miúdos a retirarem-nas com um pauzinho pertence ao passado.

Se gostou deste texto e quiser votar vá ao blogue Aldeia da minha vida e procure a grelha de votação no faixa lateral.A votação decorre de 28 a 30 de Novembro.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Os Mistérios de Lisboa, um video de J.Fonseca e Costa



Os Mistérios de Lisboa,video que segue um texto de Fernando Pessoa.Trata-se de uma revisitação à cidade e aos locais referidos por Pessoa, no primeiro terço do século XX.
É uma homenagem ao poeta e um guia de Lisboa com o seu olhar.
Segundo o realizador, o fado não é mencionado por Pessoa.Contudo é incluído um fado cantado por um jovem fadista Duarte. Este é um pequeno excerto da obra lançada ontem no mercado.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ary dos Santos / Rua da Saudade



Na Rua da Saudade, projecto de um grupo de jovens artistas, de homenagem a José Carlos Ary dos Santos, nos 25 anos da sua morte.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Pieter Brueghel, o Velho



Este pintor viveu no século XVI,na Flandres e ficou célebre pelos seus quadros com paisagens e cenas campestres.
Vale a pena ler um pouco sobre ele aqui

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O Jardim das Delícias, óleo sobre madeira

O Jardim das Delícias,pintura de Hieronymus Bosch, pintor Flamengo dos séculos XV e XVI, (1450-1516).
É um tríptico, o painel central representa o jardim das delícias terrenas e os laterais o Paraíso terreno e o Inferno.
Esta foi a pintura com que iniciámos as aulas de História de Arte neste ano lectivo.
Vale pena ler um pouco mais sobre este tema aqui.

domingo, 1 de novembro de 2009

Pus o meu sonho num navio

Pus o meu sonho num navio

Pus o meu sonho num navio
E o navio em cima do mar
Depois abri o mar com as mãos
Para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
Do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre dos meus dedos
colore as areias desertas

O vento vem vindo de longe
A noite se curva de frio
Debaixo da água vai morrendo
Meu sonho dentro de um navio

Chorarei quando for preciso
Para fazer com que o mar cresça
E o meu navio chegue ao fundo
E o meu sonho desapareça

Depois tudo estará perfeito
Praia lisa, águas ordenadas,
Meus olhos secos como pedras
E as minhas duas mãos quebradas.

Cecília Meireles

Um poema para os meus amigos que me deixaram os parabéns no dia 28 de Outubro

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Flores para mim, no dia dos meus anos

Lembro que a votação da Blogagem de Outubro começa hoje e decorre até ao dia 31 deste mês.
Se quiserem relembrar o meu texto a concurso podem lê-lo aqui e ,em seguida, votar...se gostarem...

domingo, 25 de outubro de 2009

Terra, espectáculo de Mariza


Esta foi a segunda vez que vi o espectáculo de Mariza.
Vi na Graciosa e agora em Torres Vedras! Não me canso de a ver e ouvir, nem de elogiar o seu profissionalismo e a qualidade dos seus músicos!
Se tiverem oportunidade, não a percam!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Bom fim de semana

video



Tenham um bom fim de semana e deliciem-se com o gatinho que gosta de beber água à torneira.

Regresso à poesia


Bebido o luar
Sophia de Mello Breyner Andresen

Bebido o luar, ébrios de horizontes,
Julgamos que viver era abraçar
O rumor dos pinhais, o azul dos montes
E todos os jardins verdes do mar.

Mas solitários somos e passamos,
Não são nossos os frutos nem as flores,
O céu e o mar apagam-se exteriores
E tornam-se os fantasmas que sonhamos.

Por quê jardins que nós não colheremos,
Límpidos nas auroras a nascer,
Por quê o céu e o mar se não seremos
Nunca os deuses capazes de os viver.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

domingo, 18 de outubro de 2009

Manjares dos Deuses


Come-se bem na minha terra…reflectindo sobre o assunto dei comigo a pensar em três terras. Pois é eu sou uma pessoa afortunada, tenho três terras …A minha terra natal, aquela onde nasci , o Alentejo da bela paleta de cores na Primavera e do amarelo que vem acompanhado das altas temperaturas que convidam a dietas frescas,no Verão. Mas, pelos meus dezoito anos, curso do magistério terminado e não conformada com o fim dos estudos, ainda que entusiasmada com o princípio de uma carreira profissional rumei ao Oeste, onde permaneço. Mas a vida vai-nos trazendo algumas benesses e eu tive a sorte de poder ter um porto de abrigo nos Açores, na ilha Graciosa. É um amor tardio mas dedicado: adoptámo-nos mutuamente…Assim, quando penso em boa comida tenho memórias gostosas destas três regiões do nosso querido Portugal.Do Alentejo trago ainda hoje na minha memória afectiva a bela açorda, bem condimentada com o sabor intenso e bom dos coentros e do ovo de galinhas caseiras, de gema bem amarelinha!Mas também não esqueço as migas com carne de porco frita ou a “vinagrada”, hoje mais conhecida por gaspacho ,uma sopa fria para comer no longo Verão Alentejano. Poderia também falar dos ensopados de borrego, ou dos jantarinhos de grão ou feijão com carne de porco ou de azeite, conforme as bolsas.Delicio-me com todos esses manjares no Armazém Central, restaurante do complexo mineiro do Lousal, no concelho de Grândola. Ancorei no Oeste, concelhos de Lourinhã e Torres Vedras, respectivamente, onde me fixei durante toda a minha vida activa.Trabalhei, estudei e banqueteei-me com os excelentes petiscos oestinos, do sarrabulho da senhora Jesuina, ao bacalhau com batatas a murro do pão Saloio,às belas caldeiradas de Peniche . Há um sem número de petiscos de se lhe tirar o chapéu! Estou a lembrar-me do arroz e açorda de marisco da Ericeira, onde o mar é mais azul…Nos Açores posso desfrutar da beleza natural , da amenidade do clima e da boa gastronomia , com saborosos pratos de carne e peixe, dois produtos daí originários. E que dizer dos apetitosos queijos das ilhas?Quando chego à Graciosa, minha ilha encantada, vou à Folga comer o caldo à Pescador da D.Maria, feito com peixinho pescado no dia e ,mais uma vez, ervas aromáticas da ilha como o assaflor.Outro prato delicioso é a moreia frita. É colocada em vinha de alho e depois frita usando a farinha de milho. É um perfeito manjar dos Deuses! Feijão assado a acompanhar a morcela grelhada na brasa é outro dos saborosos pratos típicos. Este texto ficaria incompleto se não referisse os belos doces conventuais alentejanos , os pastéis de feijão de Torres Vedras, as queijadas da Graciosa e claro , os bons vinhos de todas estas regiões.De resto come-se bem em todo o nosso país.

Este texto está a concurso no blogue Aldeia da minha vida. Se gostaram e entenderem que merece um voto... faz favor












terça-feira, 13 de outubro de 2009

Florença, cidade museu




Por estes locais maravilhosos andarei nos próximos dias. Até já!

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Conselhos divertidos sobre H1N1

video



Uma forma divertida e pedagógica de falar da gripe A aos mais pequenos e...aos mais velhos!!!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Amália Rodrigues-Povo que lavas no rio

video

Homenagem a Amália

Este ano faz dez anos que morreu AMÁLIA. Começaram as homenagens!
Acabei de ver um programa na RTP2 em que se falou bastante do filme. De um modo geral as opiniões são semelhantes à minha: faltou realçar a mulher de cultura em que ela se tornou por mérito próprio.
Com um baixo nível de escolaridade, conseguiu levar o fado a camadas da população que até então não o ouviam, porque escolheu bons poemas! Talvez tenha mesmo ajudado a dar a conhecer a boa poesia Portuguesa!
Ela própria escreveu muitos dos poemas dos seus fados! Conseguiu partir de patamar muito baixo e, por mérito próprio com muita inteligência e sensibilidade, elevar-se e ser a grande comunicadora, a grande intérprete do Fado, a pessoa que dignificou o fado!
Saí do filme com essa sensação de saber a pouco. Namoros?Casos? Quem os não tem?
É claro que o filme precisa de vender...e por isso precisa de uns enredos...
De qualquer modo concordo que se tenha feito o filme, e acho que próximos filmes poderão fazer realçar o imenso caracter da MULHER Amália... e assim ficar reposta a justiça!
Este texto foi publicado em Janeiro. Hoje, dia 6 de Outubro,volto a publicá-lo para homenagear Amália. E tendo visto um pouco do dito filme na RTP esta noite, mantenho a mesma opinião.
E o projecto Amália que aí está desenvolvido por novas gerações é promissor.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Fundação Medeiros e Almeida Casa Museu

O Outono regressou e com ele um conjunto de rotinas que o Verão tinha quebrado...Uma delas é
o gostoso passeio mensal com amigas de longa data.
Pois hoje, para além da natural alegria do reencontro, fui surpreendida com uma perfeita jóia no centro de Lisboa:a Casa Museu Medeiros e Almeida.
Nesta casa,situada na Rua Rosa Araujo,pode ver-se uma colecção de artes decorativas, disposta em vinte e cinco salas com obras de arte portuguesas e estrangeiras, da mais alta qualidade.
A colecção é composta por peças de mobiliário,pintura,escultura, tapeçaria, ouriversaria, arte sacra...As três principais colecções são as das Pratas,das Porcelanas e dos Relógios.
O que aqui mostro foi pertença da Imperatriz Sissi, mas também faz parte da colecção um relógio de Junot e tantos outros do maior interesse.
Esta casa foi a residência do senhor Medeiros e Almeida ,em 1973 ele constituiu a Fundação com o objectivo de manter o fabuloso património aberto ao usufruto do público.
A Casa tem também uma galeria para exposições temporárias e um pequeno restaurante com excelente comida .
É um lugar pouco conhecido e surpreendente que eu aconselho vivamente!
Aos sábados das 10 às 13 horas a entrada é gratuita.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Antero, o poeta, em Santa Cruz


Antero de Quental passou férias em Santa Cruz no Verão de 1870, com o seu amigo J. Batalha Reis. Pensa-se que aqui, contemplando este mar imenso e luminoso, tenha escrito alguns dos seus sonetos. Torres Vedras erigiu-lhe uma estátua no centenário da sua morte, 1991, e este Verão substituiu-a pela que aqui mostro.


Junto do mar, que erguia gravemente
A trágica voz rouca, enquanto o vento
Passava como o vôo do pensamento
Que busca e hesita, inquieto e intermitente,

Junto do mar sentei-me tristemente,
Olhando o céu pesado e nevoento,
E interroguei, cismando, esse lamento
Que saía das coisas, vagamente...

Que inquieto desejo vos tortura,
Seres elementares, força obscura?
Em volta de que ideia gravitais?

Mas na imensa extensão, onde se esconde
O Inconsciente imortal, só me responde
Um bramido, um queixume, e nada mais...

Antero de Quental, in "Sonetos"

sábado, 12 de setembro de 2009

Forte do Zambujal



Cerimónia de inauguração do Forte do Zambujal.
No âmbito das comemorações dos 200 anos das invasões Francesas (ou Guerra Peninsular???) a Câmara Municipal de Mafra inaugurou hoje mais um forte das Linhas de Torres.
Os serviços de arqueologia da C.M.Mafra definiram com rigor a planta do monumento e fizeram os trabalhos de conservação e restauro.
"Este forte apresenta uma planta composta , constituida por reduto central e bateria avançada.
Trata-se da obra militar mais complexa da segunda linha ( de Torres)" (fascículo da C.M.Mafra) e acrescento eu com uma visibilidade a longa distância e uma paisagem maravilhosa.
A metereologia não ajudou, tendo mesmo caído grossos e ameaçadores pingos, mas eu fiquei com vontade de voltar num dia de sol...para poder observar a paisagem e o próprio forte.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Os meus passeios pela blogosfera

Um grande olá a todos os meus amigos!
Regressei de férias e dando um pequeno passeio pela blogosfera não resisto a deixar-vos este post do blogue da Eileen!
Divirtam-se um pouco...

domingo, 16 de agosto de 2009

Postais da Graciosa


Barro Vermelho, uma das baías onde ,este ano, tomámos banho muitas vezes.Aqui há só uma praia de areia,de resto há piscinas naturais como esta.
Termina aqui a série de postais, o regresso aproxima-se... muito fica por mostrar... lamento muito a avaria da máquina porque na volta à ilha de barco vi paisagens lindas.
É um bom pretexto para repetir este passeio no próximo ano.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Postais da Graciosa

O farol da Ponta da Barca, ao longe... os faróis são pontos de orientação para quem anda no mar... Nesta ilha há dois belos faróis.
Este ano dei a volta à ilha de barco,infelizmente sem máquina fotográfica, e pude ver a importância do farol do ponto de vista do utente, ou seja do navegador.
Depois o seu interior é de uma grande beleza. Os aparelhos opticos, que permitem enviar a luz a grande distância, são muito belos!Uma estrutura de cristal, debruada a cobre, que os faroleiros mantêm muito areado,projecta a grande distância a luz de uma pequena lâmpada!
É sempre agradável visitar um farol! Nas ilhas e no continente temos belíssimos faróis, e eu tenho a sorte de os conhecer quase todos!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Postais da Graciosa

Regata de botes baleeiros
Integrada nas festas do Senhor Santo Cristo, festa religiosa tradicional do Arquipélago dos Açores,decorreu a regata de botes baleeiros, aqui na ilha Graciosa.
É uma tradição que os Açorianos se esforçam por não deixar perder, já que a pesca à baleia foi actividade económica destas ilhas até início dos anos oitenta. Os botes ainda existem, é preciso não deixar esquecer esta prática. Na ilha do Pico existe mesmo um museu dedicado à baleação.
Esta festa teve vários momentos de grande interesse , entre os quais o espectáculo de Mariza, de um profissionalismo e perfeição que nos deixou comovidos.
A festa termina hoje com mais uma tourada, desta vez à corda. Na sua praça, construída na cratera do vulcão os Graciosenses tiveram duas touradas com o cavaleiro João Moura e outras figuras nacionais do toureio.
Hoje à noite haverá fogo de artifício, a festa acaba, o barco e o avião levarão as centenas de forasteiros e a vida regressará à normalidade nesta ilha.
Para a semana haverá festa numa freguesia, porque é preciso aproveitar o Verão!
Mas as festas do Senhor Santo Cristo têm um sabor especial para os ilhéus e para nós que amamos os Açores e as suas gentes!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Touradas à corda

O TOURO PRESO A UMA CORDA

PÚBLICO EMPOLEIRADO NUM MURO E UM JOVEM INCITANDO
O TOURO

Estas são as touradas à corda tão ao gosto dos graciosenses! Todos os fins de semana há duas nas festas das freguesias. Touradas de praça há só nas festas da vila, capital da ilha, Santa Cruz.
Este ano vem o João Moura. A praça de touros foi construída na cratera de um vulcão, outra particularidade desta ilha.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Postais da Graciosa


Os dias de Verão na Graciosa costumam ser quentes e luminosos, a convidar à vida ao ar livre: Praia, pesca, piqueniques , caminhadas.
Mas este ano o S.Pedro está a pregar-nos uma grande partida,mandando-nos dias cinzentos , com chuvinha fraca, daquela que molha muito , vento e só de vez em quando um solinho para animar.
Até umas constipações já por aqui andam...
Sem a luminosidade dos dias bonitos de sol ,os meus postais da Graciosa ficam prejudicados,mas mesmo assim deixo aqui uma foto desta graciosa ilha.

sábado, 25 de julho de 2009

Postais da Graciosa

A porta da praia. Uma porta para entrar na praia é caso curioso, não acham?
É verdade, esta é a praia de areia, preta claro, que existe na ilha e tem porta de entrada e um grande muro ao longo de algumas centenas de metros a separar a praia da avenida principal.
O tempo melhorou e nesta praia e por outras baías naturais temos tomado uns belos banhos e observado os peixinhos.
De cima deste muro vimos a tourada à corda há dias.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Postais da Graciosa

As férias na Graciosa começaram. A metereologia não tem ajudado . Um tímido raio de sol iluminou a caldeira. Mais abaixo vemos a estrada que a circunda assinalada por uma fiada de árvores.É esta a estrada por onde fazemos excelentes caminhadas vendo a ilha de diversos ângulos e o mar imenso com as ilhas do grupo central.
Em baixo o casario da Praia, pequena vila portuária e local da única praia de areia da ilha.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Graciosa, minha ilha de eleição!



Esta ilha é pequena, em três quartos de hora dá-se-lhe a volta! Mas está repleta de pequenas baías e outros recortes de costa que lhe dão graciosidade! As águas atlânticas são serenas e tépidas o que nos permite tomar belos banhos!A fauna e flora marítima é de tal modo rica e bela que a prática do mergulho é um desporto aliciante! Parece que estamos dentro de um aquário gigante!
Toda a ilha está equipada com bons parques de merendas, tornando apetecível a vida ao ar livre! Que piqueniques memoráveis fazemos!
A furna do Enxofre, dentro de uma caldeira com alguns quilómetros de diâmetro, leva-nos ao interior da terra de beleza fantasmagórica! No exterior, circundando a Caldeira, fazemos grandes caminhadas que nos permitem ver toda a ilha,a sua bonita costa,os seus românticos faróis e um azul imenso de mar oceânico ponteado de outras ilhas!E depois... há o peixe fresco que se pesca e come diariamente!Todo o verão há festas nas freguesias com a componente religiosa, muita música filarmónica e ligeira e as touradas à corda, a que os graciosenses não faltam!Em fins de Agosto a contragosto, regresso a casa.Já com saudades das férias nesta graciosa ilha!

Este pequeno texto é uma singela homenagem às gentes da Graciosa! Hospitaleiros, amigos e divertidos! As minhas férias não seriam as mesmas sem estes amigos!
Mas o texto está a concurso! Espreitem aqui e votem!
Obrigada amigos e boas férias!



terça-feira, 7 de julho de 2009

Passeio marítimo de Santa Cruz





Hoje retomei as minhas caminhadas, depois de um período de paragem forçada, por razões de saúde.
Aproveitei para conhecer o passeio marítimo da Praia de Santa Cruz.
Esta praia foi alvo de uma excelente requalificação de que há a registar o restauro de uma antiga azenha, de alguns bares e restaurantes e a construção de um passeio que liga as várias praias.
Senti-me muito satisfeita por poder caminhar ao longo da praia a desfrutar da maresia e da beleza circundante!
Nas praias havia inúmeros grupos de crianças com as suas professoras e educadoras, aproveitando um bom dia de praia.
E eu caminhei pela praia a ouvi-los brincar e a apanhar o bom ar da manhã, junto ao mar...
De vez em quando parava e tirava umas fotos que aqui deixo para testemunhar.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Feira de S. Pedro



Estas aguarelas de António Bártolo mostram-nos o seu olhar sobre a Feira de S.Pedro e contam-nos também um pouco a sua história. A"carta de feira" foi concedida por D.Dinis e muito mais tarde reafirmada por D. Manuel!
As feiras , para além dos seus aspectos comerciais, têm também uma forte componente gastronómica e de diversão!
Comem-se lá uns bons petiscos! Eu e um grupo de amigos todos os anos vamos à feira comer caracóis!
Foi ontem o dia escolhido e que bons estavam! São servidos?
A feira decorre em Torres Vedras até 5 de Julho, é sempre um excelente passeio!






domingo, 28 de junho de 2009

Os meus passeios pela Blogosfera

No dia 5 de Julho faz cinco anos que morreu Sophia de Melo Breyner Andresen, uma das pessoas que escreveu a poesia de que gosto! Nos meus passeios pela blogosfera encontrei sintetizado um artigo de Alexandra Lucas Coelho sobre o espólio de Sophia que vale a pena ler!
Fica aqui um pequeno lindo poema desta grande poetisa:

Quem me roubou o tempo que era um
Quem me roubou o tempo que era meu
O tempo todo inteiro que sorria
Onde o meu Eu foi mais limpo e verdadeiro
E onde por si mesmo o poema se escrevia

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Mail enviado por um amigo anti-tabagista


Um médico estava a fazer a sua caminhada matinal quando viu esta velhinha sentada no degrau da sua varanda fumando um cigarro. Curioso, ele foi até ela e perguntou:

"Não pude deixar de notar como a senhora parece feliz! Qual é o seu segredo?"

"Eu fumo 20 cigarros por dia" respondeu. "Antes de ir pra cama eu fumo um grande charro, bebo uma garrafa de Jack Daniels por semana e só como porcarias. No fim de semana, tomo pílulas, faço sexo e não faço nenhum exercício fisico"

O médico espantando: "Isso é extraordinário! Quantos anos a senhora tem?"

"Trinta e quatro" respondeu.


Eu já me libertei do vício do tabaco e sou feliz por isso! A publicação deste mail é uma brincadeira que faço ao meu amigo!
Por mim respeito todas as opiniões, mas repito sinto-me muito satisfeita por ter deixado de fumar há seis anos!










quarta-feira, 24 de junho de 2009

Museu da Electricidade


«Marco arquitectónico da cidade de Lisboa e detentor de uma fachada de inegável beleza, o edifício da Central Tejo foi um verdadeiro pioneiro no seu tempo no domínio da produção de electricidade. Hoje, e passado quase um século desde a sua construção, a Central assume, de novo, aspectos inovadores e de grande protagonismo enquanto Museu da Electricidade.

O núcleo principal da exposição permanente é a própria Central, ou seja, todo o conjunto de equipamentos que faziam parte da instalação da antiga unidade de produção e que, felizmente, se encontram ainda hoje com uma integridade assinalável. A exposição procura transmitir aos visitantes uma noção clara do funcionamento desta antiga central termoeléctrica de Lisboa, desde a identificação dos seus diversos componentes até à explicação do seu funcionamento.»

Foi o meu passeio de ontem: visitei o museu de que ponho aqui um resumo do site e a exposição World Press Photo que este acolhe agora como exposição temporária. Há também uma exposição de Fernanda Fragateiro.E ainda um bar restaurante da cadeia Amo-te, o Amo-te Tejo. Nós escolhemos um outro restaurante com vista sobre o Tejo ali bem pertinho! Entre momentos culturais, gastronómicos, de fruição da paisagem ribeirinha e do excelente convívio com as amigas passei ontem um belo dia ! Uma visita a este Museu vale a pena, está muito bem musealizada a antiga central termoelectrica de Lisboa!

domingo, 21 de junho de 2009

Nunca são as coisas mais simples...

Gustavo Klimt

Nunca são as coisas mais simples que aparecem
quando as esperamos. O que é mais simples,
como o amor, ou o mais evidente dos sorrisos, não se
encontra no curso previsível da vida. Porém, se
nos distraímos do calendário, ou se o acaso dos passos
nos empurrou para fora do caminho habitual,
então as coisas são outras. Nada do que se espera
transforma o que somos se não for isso:
um desvio no olhar; ou a mão que se demora
no teu ombro, forçando uma aproximação
dos lábios.

Nuno Júdice

terça-feira, 16 de junho de 2009

Transfiguração, ultima obra de Rafael

Esta obra de Rafael, pintor da Renascença Italiana,foi a sua última pintura , tendo já sido terminada por um discípulo. O pintor iniciou-a em 1518 e faleceu em 1520 tendo Giulio Romano completado esta obra de grandes dimensões(405/278cm) . A sua temática é religiosa representando a parte superior a Transfiguração de Jesus, narrado nos Evangelhos Sinópticos.
A parte inferior trata do milagre do menino Endemoninhado, Evangelho de S.Mateus.
A elegância , a intensidade passional bem como os contrastes luminosos denotam já o movimento do final do século, o barroco! Esta obra de 1518 já o anuncia , é esta a grande importância da derradeira obra de Rafael!
Eu fiz questão de aqui trazer esta bela pintura,porque foi a última que estudámos este ano lectivo e porque gostava de enfatizar a importância destas actividades que nos ajudam a ter os sentidos bem despertos para a apreciação de uma obra de arte!

domingo, 14 de junho de 2009

sábado, 13 de junho de 2009

Dia Mundial contra o trabalho Infantil!





Que situações destas sejam erradicadas da face da terra!
As crianças devem brincar, estudar, enfim preparar o seu futuro e não podem ser sobrecarregadas desta maneira!
Claro que fazer Televisão e passagem de modelos também é trabalho infantil que as distrai do objectivo principal que é a sua Educação!
Todavia essas actividades, pelo menos, não são agressivas do ponto de vista do crescimento harmonioso do corpo!
As crianças assim sacrificadas perdem a oportunidade de receber Educação e correm sérios riscos de saúde! É revoltante!
Como cidadãos devemos denunciar situações destas!
Em Portugal julgo que melhorámos um pouco, parece que já não é comum encontrar meninos nos esconsos das fábricas a trabalhar!
Queira Deus que eu não esteja a ser ingénua!

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Diário de uma Cidade

Posted by Picasa

«Entrar na Casa Esteveira é sempre uma experiencia surpreendente.As paredes estão inteiramente preenchidas, todos os espaços aproveitados.Artigos menos usuais, raros ou antigos, parecem esperar por algum cliente especial, que saiba realmente onde os deve procurar.»
Isto diz o António Bártolo, autor deste excelente trabalho sobre Torres Vedras, Diário de uma Cidade, e todos os habitantes de Torres Vedras concordarão com ele!
A casa Esteveira é a loja onde todos gostamos de comprar!