domingo, 1 de novembro de 2009

Pus o meu sonho num navio

Pus o meu sonho num navio

Pus o meu sonho num navio
E o navio em cima do mar
Depois abri o mar com as mãos
Para o meu sonho naufragar

Minhas mãos ainda estão molhadas
Do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre dos meus dedos
colore as areias desertas

O vento vem vindo de longe
A noite se curva de frio
Debaixo da água vai morrendo
Meu sonho dentro de um navio

Chorarei quando for preciso
Para fazer com que o mar cresça
E o meu navio chegue ao fundo
E o meu sonho desapareça

Depois tudo estará perfeito
Praia lisa, águas ordenadas,
Meus olhos secos como pedras
E as minhas duas mãos quebradas.

Cecília Meireles

Um poema para os meus amigos que me deixaram os parabéns no dia 28 de Outubro

7 comentários:

Isa disse...

Obrigada,Alcinda!
Gosto de Cecília Meireles.Lindo poema!
Beijo.
isa.

Isa disse...

Já agora para lhe oferecer os selinhos q.trouxe do Farol da Amizade
Ñ é meme.É uma forma de manter viva a Árvore da Amizade.
Beijo.
isa.

BC disse...

Lindo poema Alcinda e perdoa, não sabia mesmo o dia dos anos, já somos tantos, mas vão chegar atrasados mas chegaram.
Por aqui as coisas andam um pouco complicadas e o blogue tem ficado um pouco para trás, vou publicando algumas coisa já guardadas, mas visitas nada, tenho andado agora a por em dia.
Beijinhos

Jorge P.G disse...

Imperdoavelmente atrasado, mesmo assim deixo-lhe um grande abraço de parabéns.
SAÚDE E FELICIDADES!

ellen disse...

Bonito Alcinda e parabéns, mesmo que super super atrasados!

Beijinho para si

Anónimo disse...

Alcinda, nunca deixe que os seus sonhos se afundem. Ás vezes mesmo quando vamos embora deste mundo os nossos sonhos não desaparecem porque alguém nosso amigo se encarrega de os fazer acontecer.
Bjs
Aida

Baila sem peso disse...

E deste poema muito gosto!!!...
Venho deixar muito carinho
mas também quero que sempre sonhe
e a vida corra sempre a bom gosto...
os olhos brilhem de água serena
e as mãos sejam como suave pena!

beijinho retribuido (mesmo o meu sendo atrasadinho no sentido)