sexta-feira, 29 de maio de 2009

Obrigada Isa

Estou em grande falta com a Isa e ela não merece! Deve ser a amiga virtual que mais se preocupa com todos nós, os seus amigos desconhecidos mas sempre presentes no seu espaço!
Mas hoje vou redimir-me colocando aqui o seu bonito selo e declarando o quanto gosto dos mimos que a Isa nos prodigaliza !
Das muitas, muitas mais coisas que gosto, gosto particularmente de ter AMOR da família, dos amigos, dos colegas...
Depois gosto de viajar, de visitar museus, exposições, cidades, paisagens, etc!
Gosto muito de... tudo de bom que a VIDA nos proporciona!
Em suma gosto muito de viver!

Salas de Rafael / Museu do Vaticano

Ontem,na aula de História de Arte, estivemos a analisar este fresco de Rafael que está no Museu do Vaticanol. É muito interessante saber o contexto histórico e religioso em que estas obras são criadas e consequentemente a simbologia das figuras que a compõem.Esta é a sala da disputa e em questão está o ostensório colocado sobre a mesa! As figuras representadas são personagens de interesse histórico e religioso!

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Ela canta pobre ceifeira / Fernando Pessoa( ortónimo)



Ela canta, pobre ceifeira,
julgando-se feliz talvez;
Canta e ceifa, e a sua voz, cheia
de alegre e anónima viuvez,

Ondula como um canto de ave
No ar limpo como um limiar,
E há curvas no enredo suave
Do som que ela tem a cantar.

Ouvi-la alegra e entristece,
Na sua voz há o campo e a lida
E canta como se tivesse
Mais razões p´ra cantar que a vida

Ah, canta sem razão!
O que em mim sente´stá pensando,
Derrama no meu coração
A tua incerta voz ondeando

Ah, poder ser tu, sendo eu!
Ter a tua alegre inconsciência,
E a consciência disso! Ó céu!
Ó campo!Ó canção! A ciência

Pesa tanto e a vida é tão breve!
Entrai por mim dentro! Tornai
Minha alma a vossa sombra leve!
Depois, levando-me, passai!


Foi este o poema de Fernando Pessoa que estivemos a analisar na aula de Literatura, a minha primeira aula!Este grande poeta é complexo mas muito interessante! Eu gosto muito!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

João Bénard da Costa


Ontem morreu João Bénard da Costa, um vulto da cultura!
Eu lia as suas crónicas no Público e ficava encantada com a sua cultura e a sua sensibilidade!
Hoje a Alexandra Lucas Coelho escreve no Público um extenso texto sobre o homem e o intelectual e não é que , eu humilde criaturinha, tenho algumas afinidades com aquele gigante da cultura!
João Bénard da Costa era bom aluno a letras e eu também!
Teve nota negativa a Desenho, no exame de 5ºAno e eu também! E eu sempre pensei ser caso único no País! Para mim ninguém é tão desajeitado para os traços como eu!
Afinal enganei-me! J.B. da Costa gostava muito de Florença, eu também e imaginem que vida ele escolheria se lhe fosse dado escolher outra vida... Frederico de Montefeltro, senhor de Urbino, príncipe das Humanidades, retratado por Piero de la Francesca!
A sua maior esperança era conhecer Deus pois a vida ser só isto, não lhe fazia sentido!
Claro que brinquei com as afinidades, mas quis aqui agradecer a Alexandra Lucas Coelho ter-me mostrado um pouco mais deste gigante da cultura,mesmo sendo na altura da sua morte!
A João Bénard da Costa desejo que se realize a sua maior esperança!










terça-feira, 19 de maio de 2009

Jeune Orchestre Atlantique

videoOrquestra onde a filha de uma amiga minha toca clarinete!
É uma singela homenagem à mãe que tem feito tudo pela sua filha!

domingo, 17 de maio de 2009

Catarina de Bragança, infanta de Portugal, rainha de Inglaterra


Acabei agora de ler o livro de Isabel Stilwell, Catarina de Bragança, A Coragem de uma Infanta Portuguesa que se tornou Rainha de Inglaterra. Este livro conta a história de Catarina de Bragança desde o nascimento até à morte. A escrita da autora é muito simples e fluida. O livro não pretende ser uma obra-prima da literatura, apenas uma biografia completa da rainha. Apesar de alguns factores serem romanceados, todas as fases da vida de Catarina são contadas com muito rigor histórico e são raras as personagens do livro que não são reais.
O livro começa por contar a infância simples e despreocupada de Catarina e de seus irmãos no Palácio de Vila Viçosa. Tendo o seu pai sido aclamado rei após o domínio Filipino ,a sua vida sofre uma grande transformação.Da Vila Viçosa Natal, Catarina vem para Lisboa, onde D:João IV e D. Luisa de Gusmão encontrarão sérias dificuldades para vencer a guerra com Castela.

Paço da Ribeira, Lisboa, Séc. XVII

No Paço da Ribeira a tragédia parecia não os abandonar! Aí perdeu os seus dois irmãos mais velhos, Teodósio, o herdeiro do trono, e Joana, a sua confidente.
Com a morte de sua irmã, coube-lhe a ela a tarefa de fazer um casamento útil ao esforço de guerra. Foi também aqui que começou a formar o seu carácter com a influência positiva de Padre António Vieira e de seus pais. Poderíamos dizer que Catarina herdou o melhor de cada um dos seus pais: o carácter forte da mãe e o feitio doce do pai.

Depois de uma longuíssima negociação o seu casamento com o rei Carlos II, de Inglaterra, é estabelecido e a vida desta jovem infanta de Portugal, rainha de Inglaterra deu este enorme romance, que me parece rigoroso nos dados históricos e nos dá também uma ideia das diferenças culturais entre os dois países e do peso da religião na época.



quarta-feira, 13 de maio de 2009

Aos Amigos





Mal nos conhecemos
Inauguramos a palavra amigo!
Amigo é um sorriso
De boca em boca
Um olhar bem limpo
Uma casa ,mesmo modesta, que se oferece
Um coração pronto a pulsar
Na nossa mão!
Amigo recordam-se vocês aí,
Escrupulosos detritos?
Amigo é o contrário de inimigo
Amigo é o erro corrigido
Não o erro perseguido, explorado
É a verdade partilhada, praticada
Amigo é a solidão derrotada!
Amigo é uma grande tarefa,
Um trabalho sem fim
Um espaço útil, um tempo fértil
Amigo vai ser, é já uma grande festa!
Alexandro O'Neil

domingo, 10 de maio de 2009

Leituras da convalescença



A convalescença tem as suas vantagens! Sobra mais tempo para a leitura!
Acabei de ler este romance de Pepetela, escritor Angolano que nos brinda sempre com belas (e humoristicas, muitas vezes) descrições da sociedade Angolana actual!
Nesta obra,tendo como pano de fundo uma história de amor impossível entre um jovem angolano e uma jovem mongol na Moscovo Internacionalista, narra-nos um pouco da história de Angola desde os anos sessenta com o surgimento dos movimentos de libertação até aos nossos dias passando pela longa guerra civil!
Uma viagem no tempo e no espaço para uma geração cansada de guerra, onde o Amor triunfa contra todas as fronteiras físicas e mentais!
A sua escrita é fluída, leve e simples como todas as boas obras!
Este autor tem uma obra vasta e de muito interesse sociológico para a história de África!

domingo, 3 de maio de 2009

Molho à Pescador servido em tigela Rafael Bordalo Pinheiro

Eis o molho à pescador! Terão reparado que não mencionei o sal nos ingredientes, já me esqueci desse tempero! Cá em casa deixámos há alguns anos de usar sal por razões de saúde.
Ficou delicioso, apesar de o sabor do peixe acabado de pescar ser melhor!
Aqui também quero mais uma vez mostrar uma peça RAFAEL BORDALO PINHEIRO, fábrica que viu uma
restea de esperança no futuro

Dias das Mães


sábado, 2 de maio de 2009

Molho à pescador à moda da Graciosa


























Molho à Pescador à moda da Graciosa

Ingredientes
Peixe pescado no dia
Um molho de salsa
Alho qb
Cominhos qb
Assaflor( especiaria dos Açores) qb
Tomate em calda qb
Vinho branco
Vinagre

Preparação Coloca-se o peixe a cozer com um molho de salsa.Quando a água levantar fervura, retira-se um pouco para preparar o molho.

Molho
Pica-se uns dentinhos de alho,junta-se cominhos, assaflor, um copo de vinho branco , três colheres de vinagre e três colheres de calda de tomate. Mistura-se na agua retirada no início da cozedura, mexe-se bem e junta-se ao peixe. Deixa-se cozer mais alguns minutos e temos uma excelente sopa de peixe!
Serve-se assim ou com umas fatias de pão para fazer sopas!

É uma delícia! E eu amanhã vou atrever-me a fazer aqui em casa!
Claro que o peixe não tem a mesma frescura e eu sou uma principiante, mas enquanto não chego à Graciosa para me banquetear na Folga com o molho da D.Maria...contentar-me-ei com este ...
Perdoem-me a imodéstia eu não sou má cozinheira, mas o peixe... não é comparável com o daquele mar dos Açores pescado no dia!
De qualquer modo..vai .u
ma postinha de goraz?