segunda-feira, 27 de abril de 2009

Memórias






Neste Abril de muitas memórias lembrei-me do fim de semana a seguir ao 25 de Abril de 1974( 5ªfeira).
Na minha escola estava programado um passeio escolar, assim se chamava ao tempo as actuais visitas de estudo. O inicio desse passeio seria no dia 27 e o destino a Serra da Estrela.Depois dos acontecimentos de 25 ficámos um pouco indecisas e mesmo perplexas quanto à realização da viagem! Note-se que se tratava de uma viagem com cerca de uma centena de crianças do ensino primário que se prolongaria por dois dias!
Até para a época era uma pequena loucura que um punhado de adultos se propunha fazer!
Tendo o dia seguinte corrido sem qualquer alteração lá partimos nós em direcção à Covilhã, parando em alguns locais de interesse para a pequenada.
Nessa noite dormimos na Covilhã e nevou toda a noite!
No dia seguinte seguimos em direcção à Torre e, como não me parece que houvesse limpa neve, a estrada estava um mau estado, mas o nosso destemido condutor levou o autocarro a bom porto, no caso a bom nevão!
Na Torre todos nós fizemos aquele desporto sentados num saco plástico, tentámos os bonecos de neve, divertimo-nos muito, como oestinos estranhos a este habitat...
Com um pequeno senão: os sapatos da Idalina desapareceram, como por magia,enterrados na neve!
Foi uma azáfama, como procurar agulha em palheiro mas a rapariga voltou com os seus sapatos... molhados, é certo!
Nós, os docentes, os funcionários e alguns pais atrevemo-nos a levar quase uma centena de miúdos por dois dias para um destino com as suas dificuldades no fim de semana imediatamente a seguir ao 25 de Abril, faz hoje precisamente trinta e cinco anos!
E hoje atrever-nos-iamos?

9 comentários:

Andradarte disse...

Recordar é viver.
O mesmo serve para mim, pois vivi
na Covilhã 27 anos e estou recordando também os bons
momentos passados na Serra.
Beijo

Baila sem peso disse...

Memória que faz a nossa história!
Covilhã só de passagem
e na Serra, em neve só vê-la longe
e de Verão, em longa e anual viagem!!

Obrigada pelo carinho no meu baile!Beijinhos com frescura da paisagem! :)

Cöllyßry disse...

Hoje está tudo incerto, e tão violento, gostei de ler...


|)’’()
| Ö,)
|),”
| beijo da...

*Cöllyßry

Nilson Barcelli disse...

Tiveram muita coragem, porque logo após o golpe de estado ainda havia muita poeira no ar.
Se não fossem, não teriam uma história para contar...
Boa semana, beijos.

mariana.santos.ramos disse...

Pois é: hoje é complicado fazer qualquer coisa dessas. Mesmo assim, já fui a Paris e a Londres (em anos dferentes, claro!) com alunos mais crescidos.
Na semana passada, levámos (8 profs.)quatro turmas à Quinta da Regaleira. Também deu o seu trabalho... Mas voltámos todos sãos e salvos.
Mas em 27 de Abril de 1974, foi preciso coragem...
Beijos
Nita

*Lisa_B* disse...

Querida amiga,

nessa altura assumiam-se riscos por outros valore. Hoje não sei,teriam receio? Coragem? Se as mesmas pessoas lá estivessem penso que sim...a determinação continuaria pois os pequenotes uma centena deles ficaria sem sorriso não é mesmo?
Também andei la de traseiro mas sem saco visto que estava vestida com calças de "napa" e deslizavam que era um primor...:-) o pior era o arrefecimento que provocava no dito cujo...

Foi um dia magnifico, em que brincamos e sem querer ao atirarmos bolas de neve não vimos uma barraca que vendia loiças e pronto tivemos prejuízo e o senhor que lá vendia: lucro.
Partimos-lhe a loiça quase toda ehehe.Ele ainda somou mais do que era na realidade e foi embora com o peditório que fizemos no autocarroem que fomos.Todos se uniram e contribuíram para os estragos.
É que nós as que partimos as loiças éramos o grupo que cantava no autocarro de casa até Serra da Estrela e na volta embora já sem vozes ehehe.

Que belas recordações me fez chegar agora à ideia mesmo antes de dormir umas 3horitas.

meg disse...

O 25 de Abril de saudosa memória, pela esperança que acalentou nos nossos espíritos, vai longe, ainda que tão há pouco, porque o tempo passa mesmo num ápice...E transforma-nos, para o bem e para o mal, enrugamos, perdemos a tal esperança, resta-nos muitas vezes a memória doce!
Sou professora hoje, fui aluna no dia do 25 de Abril, não me recordo de passear por longe com Docentes tão audazes naquela altura, mesmo com finalidade pedagógica! Foi uma acto de grande "progressismo", como usava dizer-se na altura, revelando uma mente aberta.
Pois hoje há grande dificuldade em cometer esse acto heróico de intercâmbio entre professores, alunos e pais, em quantidade, para a montanha nevada, por mais do que um dia...todos complicam demasiado, porque tudo se tornou mais egoísta, menos fraterno, mais perigoso, mais dispendioso,mais exigente nas condições, mais burocrático, mais complexo de organizar..
Hoje os docentes receiam muita coisa, apesar de serem mais livres à partida...
Gosto da escrita do Blogg. Fiquei cliente! quando quiser passe no meu
singelo: http://bichaneca.blogspot.com

Abraço Meg

Jorge P.G disse...

Eu, não!
Hoje, o responsável até por uma avaria no autocarro é quem lidera as visitas de estudo. Recuso-me a fazê-las.

Saudações.

Domenico Condito disse...

Olá Alcinda

Para quando a sua vinda a Itália?
Saiba que tem um casal amigo que espera por si!

Um grande abraço!
Domenico e Laura