terça-feira, 21 de abril de 2009

Poetas de Abril












Com fúria e raiva

Com fúria e raiva acuso o demagogo
E o seu capitalismo das palavras

Pois é preciso saber que a palavra é sagrada
Que de longe, muito longe um povo a trouxe
E nela pôs sua alma confiada

De longe,muito longe desde o início
O homem soube de si pela palavra
E nomeou a pedra a flor a água
E tudo emergiu porque ele disse

Com fúria e raiva acuso o demagogo
Que se promove à sombra da palavra
E da palavra faz poder e jogo
E transforma as palavras em moeda
Como se faz com o trigo e com a terra

Sophia de Mello
Breyner Andresen

3 comentários:

Victor Gil disse...

Olá Alcina.
Vim à procura do seu espaço de dialogo e me encontro também com Abril, o que particularmente me encanta. Me encontro também com a nossa grande Sophia.
Agradeço a sua visita. Vou seguir-te também com o interesse que sigo qualquer outro espaço. Tenho outro blog com fotos do meu filho e poesias minhas.
Um Beijo (se me permites)
Victor Gil

Pico minha ilha disse...

Abril por aqui.Beijinhos e sempre Abril

Baila sem peso disse...

A palavra com fúria e raiva
no meio de cravos de Abril
vale toda a verdade cantada
com nome Sophia, a valer mil!

Obrigada pelo momento.
(e pela canção de Abril
ser teu pensamento!)

Beijinhos para ti