quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Natal na poesia Portuguesa




   Natal... Na província neva.
Nos lares aconchegados,
Um sentimento conserva
 Os sentimentos passados.

   Coração oposto ao mundo,
  Como a família é verdade !
      Meu pensamento é profundo,
 Estou só e sonho saudade.

   E como é branca de graça
A paisagem que não sei,
Vista de trás da vidraça
Do lar que nunca terei !

Fernando Pessoa